XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Úlcera de Marjolin após 50 anos em área de pele transplantada

Apresentação do caso

O relato de caso trata-se de um paciente, sexo masculino, de 68 anos, com história de queimadura extensa devido a acidente com combustível (gosolina) há 50 anos em membro superior direito, tórax e abdome. Foi submetido a transplante de pele, sendo o irmão o doador, e reconstrução pela cirurgia plástica. Evoluiu com lesão de grande extensão, ulcerada, acerca de 1 ano com crescimento progressivo e rápido, em parede anterior do tórax e transição tóraco-abdominal, na mesma localização do transplante de pele. Laudo anatomopatológico é compatível com carcinoma epidermóide pouco diferenciado. Submetido a ressecção oncológica ampla com controle circunferencial de margens e fechamento por segunda intenção, com acompanhamento de ferida pela comissão de curativo e bom desfecho clínico.

Discussão

A úlcera de Marjolin faz parte de um grupo de neoplasias originadas de uma cicatriz de queimadura e está associada ao processo de transformação de tecidos superficiais cronicamente inflamados ou traumatizados. Compõe cerca de 2 a 5% de todos os carcinomas de células escamosas da pele. É classificada como aguda quando ocorre antes de 5 anos da queimadura, ou crônico quando após 5 anos. A possibilidade de desenvolver esse tipo de lesão em grandes queimados, mesmo após anos da lesão hipertérmica tecidual, mostra a importância do olhar vigilante a essa categoria de pacientes. Ademais, o caso supracitado descreve uma incidência extremamente rara e pouco relatada na literatura, referida a incidência desse tipo de neoplasia em local acometido por transplante de pele, mesmo na presença compatibilidade do enxerto ao organismo do paciente.

Comentários Finais

Apesar de rara, a úlcera de Marjolin é uma conhecida complicação na cicatrização de queimados e após revisão de literatura, não foram encontrados casos elucidando o seu desenvolvimento em enxertos de pele transplantada, o que torna o relato apresentado de grande valia para melhor compreensão da patologia, uma vez que o paciente relatado apresentou desfecho positivo.

Palavras-chave

ulcera de marjolin; tranplante de pele; enxerto

Área

Oncologia Cutânea

Autores

SARAH HULLIANE FREITAS PINHEIRO DE PAIVA, JADIVAN LEITE DE OLIVEIRA, ROBERTO ANDRE TORRES VASCONCELOS, NELSON JOSE JABOUR FIOD, LUIZ FERNANDO NUNES, KAIQUE TORRES FERNANDES, LALYA CRISTINA SARMENTO DE FREITAS, PRISCILA FERREIRA SOTO, JULIANA VETORAZO ALVARENGA, JEAN CARLOS DA SILVA